Monitoramento de CFTV

Há mais de 27 anos a Tele-Segurança Roland, empresa especializada em sistemas eletrônicos de segurança, atua no monitoramento de sistemas de alarme, monitoramento de CFTV- Circuito Fechado de Televisão, sistemas integralizados de segurança perimetral e controle de acesso inteligente.

Segurança Privada

Atuando desde 2006, a Roland Vigilância, empresa especializada em segurança privada e, autorizada pela Polícia Federal, opera dentro de um novo conceito de segurança, utilizamos sempre as mais modernas práticas operacionais, apoiando os profissionais com a tecnologia disponível para atividade, objetivando uma excelente gestão operacional.

Portaria Remota Porter

Atualmente, a tecnologia utilizada na solução de portaria remota pela Porter está na sua quarta geração, diferenciando-a de todos os players do mercado de portaria automatizada.
Trata-se de uma solução de controle de acessos com alta tecnologia, tanto de hardware quanto de software, totalmente integrados que, fornecem segurança, confiabilidade e eficiência na prestação dos serviços.
Oferece, ainda uma melhor qualidade na segurança e uma redução de até 50% no custo da portaria presencial 24h.

previous arrow
next arrow
Slider

Como funciona a mediação de conflitos em condomínios?

Centenas de pessoas convivendo nos mesmos espaços, dividindo áreas comuns, piscina, elevador, quadra esportiva… Parece a receita certa para atritos? Pois é, os problemas entre os moradores podem se tornar uma dor de cabeça e tanto para os síndicos. Mas a mediação de conflitos em condomínios pode ser a solução ideal.

Pequenas discussões sobre barulho, obras ou vagas de garagem não precisam virar uma disputa judicial. Ou, pior, caso de polícia. Com a intervenção na hora certa, o síndico pode atuar como mediador e ajudar a encontrar soluções simples para o problema.

Porém, como intervir sem acabar privilegiando uma das partes? Neste artigo, você vai entender como funciona a mediação de conflitos e como o próprio síndico pode assumir esse papel. Continue lendo e descubra!

O que é mediação de conflitos?

Em primeiro lugar, vale explicar em detalhes o que é a mediação de conflitos. Esse método é um procedimento voluntário, no qual as partes envolvidas se encontram, com o apoio de um mediador.

Ou seja, ela exige engajamento dos envolvidos, que não podem ser coagidos ou constrangidos a participar da mediação.

Durante esse processo, que ocorre de forma extrajudicial, todos podem expor seu pensamento e tentar resolver o problema de maneira construtiva.

Essa modalidade surgiu como uma forma de evitar longos processos, que eram muito custosos, tanto para as partes envolvidas quanto para o Judiciário. Além disso, reduz o tempo de espera para uma solução.

Inclusive, vale ressaltar que esse acordo tem validade legal e, caso uma das partes não o cumpra, pode ser levado para a Justiça.

Também é importante frisar que negociações trabalhistas, atividades ilegais, agressões  físicas e danos morais não podem ser resolvidos por meio de mediação. Nesses casos, a Justiça deve ser acionada.

Vantagens da mediação

Existem inúmeras vantagens da mediação de conflitos em condomínios. Como você viu, os processos judiciais são demorados e custosos, pois envolvem a contratação de advogados para ambas as partes e outros gastos.

Além disso, os processos são desgastes, principalmente quando as duas partes vivem no mesmo prédio. Afinal, não é agradável encontrar pelos corredores alguém que está em uma disputa legal com você. Por isso, é muito mais construtivo optar por uma solução simples, que seja boa para todos e traga positividade.

E os benefícios não atingem apenas os moradores. Para o síndico, a mediação facilita a resolução de conflitos com inadimplentes, por exemplo, além de poupar o empreendimento de ações contra o condomínio.

Mediação de conflitos em condomínios: como funciona?

Já deu para perceber que a mediação de conflitos pode ser uma excelente solução para os problemas do seu condomínio, não é?

Mas como ela funciona na prática? Basicamente, a ideia é que um mediador intervenha nas situações mais críticas, antes que elas se tornem problemas maiores. Nesses casos, o objetivo é encontrar uma solução pacífica, que seja consenso entre os envolvidos.

Fases da mediação

Para isso, são necessárias três fases:

• pré-mediação,
• compreensão do caso e
• resolução.

Na primeira etapa, o mediador vai expor quais são os direitos e deveres de cada um dos participantes, além de acordar com todos os melhores dias e horários para as sessões de mediação. Também nesse momento, as partes podem contar suas versões sobre o conflito.

Em seguida, na fase de compreensão do caso, o mediador pode explorar mais a fundo os motivos que levaram ao problema. Por fim, na resolução do conflito em si, o mediador utiliza técnicas para facilitar a negociação e apresenta alternativas possíveis.

Tudo isso pode ocorrer em apenas uma sessão ou ter um encontro para cada momento. A escolha vai depender da densidade do tema e da delicadeza das questões envolvidas.

Da mesma forma, o mediador pode optar por fazer reuniões iniciais com cada parte individualmente e só depois reunir todos para formalizar as decisões, se o grupo achar melhor.

Quem pode atuar como mediador?

Mas afinal, quem pode ser mediador no condomínio? A resposta é simples: qualquer pessoa capacitada, que possa agir de maneira independente e imparcial. Por isso, o próprio síndico pode encontrar maneiras de se tornar mediador. Ou então pedir ajuda a um advogado ou psicólogo que possam auxiliar nas sessões. O importante é construir um espaço confortável, no qual as partes se sintam à vontade.

Aliás, o envolvimento do síndico na mediação de conflitos em condomínios está cada vez mais importante. Afinal, os empreendimentos funcionam como pequenas cidades, com cada vez mais moradores e recursos. E tudo isso precisa de uma gestão estratégica e, ao mesmo tempo, humana.

Com a aplicação da tecnologia no dia a dia dos condomínios, sobra mais tempo para o síndico trabalhar dessa maneira: servindo como uma mediação para problemas e fazendo a administração dos problemas que não podem ser automatizados. Por isso, a mediação é uma das habilidades do síndico profissional de sucesso.

Gostou das informações. Então comente e acompanhe o blog da Roland para se informar sobre a gestão inteligente de condomínios. Aqui, você fica por dentro das melhores práticas para síndicos e administradoras.